Time Lwart·06/07/2021·5 minutos

11º Encontro Internacional com o Mercado da América do Sul

Lwart participa do evento falando da importância do rerrefino na sustentabilidade da indústria de lubrificantes

A Lwart Soluções Ambientais participou do 11º Encontro Internacional com o Mercado da América do Sul, com o tema “Mercado, tecnologia e sustentabilidade”. Organizado pelo Portal Lubes, o evento 100% online reuniu especialistas e estudiosos do Brasil e do exterior e foi destinado aos interessados na cadeia produtiva de lubrificantes em todo o Mundo.

Em um painel que abordou temas como ESG e tendências sustentáveis na cadeia produtiva, a condução sobre a importância do rerrefino na sustentabilidade da indústria de lubrificantes ficou a cargo da Lwart Soluções Ambientais. A gerente de Relações Institucionais e Sustentabilidade, Aylla Kipper, destacou que a legislação brasileira determina que todo óleo lubrificante usado ou contaminado deve ser coletado e destinado para o rerrefino e proíbe qualquer outra destinação.

“O Brasil coleta cerca de 500 milhões de litros de óleo lubrificante usado ou contaminado, mas um volume próximo de 150 milhões de litros é destinado de forma inadequada e não passa pelo processo legal de rerrefino no Brasil”, destaca Kipper.

Segundo a executiva, a Lwart Soluções Ambientais é uma empresa que tem atuado para a promoção da educação ambiental e, somado às legislações vigentes e fiscalização do poder público, pode-se ampliar o volume de coleta e diminuir o que é destinado de forma incorreta.

“Todo o volume do OLUC que não é rerrefinado é uma ameaça ao meio ambiente, uma vez que o óleo lubrificante usado ou contaminado é um resíduo perigoso Classe I, sendo que um único litro de óleo lubrificante usado é capaz de contaminar 1 milhão de litros de água. Além disso, para cada 10 litros queimados são gerados 20 gramas de metais pesados. Esses metais possuem alto grau de toxicidade e são prejudiciais à respiração”, alerta Aylla.

Outro aspecto destacado foi o fato da tecnologia de hidrotratamento, exclusiva da Lwart, não gerar resíduos que necessitam ser enviados para aterro durante o processo de rerrefino, reforçando assim a economia circular ao reaproveitar na indústria de impermeabilização asfáltica os resíduos gerados e também na reciclagem de produtos metálicos gerados pela troca dos catalisadores, devido a vida útil destes.

Por fim, Aylla Kipper ressaltou como a atuação da empresa na gestão dos resíduos pós-consumo é um exemplo eficaz no fomento da logística reversa e do ciclo da economia circular perfeita no trato do óleo lubrificante usado e que os resultados obtidos são ganhos para o Brasil no aspecto econômico, ambiental e produtivo.

Comentários