Grupo Lwart Lwart Lubrificantes

Silvicultura

Voc est em:   Home Lwarcel Celulose Florestas de Eucalipto Silvicultura

Silvicultura

Silvicultura

A equipe de silvicultura é responsável pela formação dos plantios de eucalipto. Esta formação pode ser feita de três maneiras: por implantação, reforma ou regeneração. A implantação refere-se ao primeiro plantio de eucalipto realizado em área que anteriormente estava ocupada por outra cultura ou pastagem. A reforma é o plantio de mudas entre as linhas de um plantio já colhido, visando aumento de produtividade da área e em geral implicando em substituição de material genético. E a regeneração, também chamada talhadia ou condução de brotação, é a formação de uma floresta a partir da brotação das árvores colhidas. 

Na Lwarcel, a formação dos plantios é orientada pelo Planejamento Anual da Silvicultura. Este plano de atividades é elaborado a partir das definições de áreas a serem implantadas, reformadas ou regeneradas e de outras informações provenientes do relatório de áreas disponíveis para plantio resultando nas seguintes informações: 

- Programação das atividades
- Relatório de áreas por fase (idade)
- Plano de compra de insumos
- Plano de aquisição de terras
- Plano de Fomento
- Plano de produção de mudas
- Fluxo de caixa

Tanto a formação quanto a manutenção posterior dos plantios são cercadas de cuidados técnicos e operacionais, visando assegurar a alta produtividade, a minimização dos custos de produção e a manutenção das condições de sustentabilidade ambiental. Forte ênfase é dada ao monitoramento do trabalho realizado pelas equipes de campo, garantinfo o cumprimento das instruções de trabalho e atingindo os padrões de qualidade estabelecidos. 

As atividades de silvicultura dividem-se da seguinte maneira:



1. Planejamento de implantao

Realizado no caso de plantio em novas áreas, esta etapa envolve a vistoria, a medição, o mapeamento e a definição do uso, sempre buscando a otimização das operações de silvicultura e colheita e a redução do impacto ambiental.

 



2. Preparo do solo

Inclui atividades destinadas a propiciar condições adequadas para o posterior plantio das mudas de eucalipto: análise de solos, aplicação de calcário (e de corretivo, se houver prescrição), combate a formigas, roçada, aplicação de herbicida, subsolagem, adubação e construção ou manutenção de cercas. No caso de implantação, esta etapa inclui também a construção de estradas e aceiros e a atualização de mapas e construção de cercas. 


O preparo de solo propriamente dito, é realizado utilizando a técnica do cultivo mínimo, com subsolagem somente na linha de plantio, reduzindo assim a interferência no solo, evitando a alteração de sua estrutura e a exposição excessiva às intempéries, de forma a minimizar a evaporação da água e dos processos erosivos. Também com o objetivo de proteger e enriquecer o solo, são deixados em campo os resíduos da colheita constituídos pelas folhas e cascas das árvores, promovendo assim a manutenção da matéria orgânica no solo.


A utilização de plantio em nível e o controle da operação de subsolagem são outras medidas tomadas, que visam minimizar os riscos de erosão do solo nas áreas de cultivo. Da mesma forma, há construção e manutenção de estradas e aceiros, observando critérios que visam minimizar o impacto da malha viária sobre a conservação dos solos, pela minimização do risco de erosão.

 



3. Adubaes

A adubação e a aplicação de produtos para a correção dos solos são utilizadas pela Lwarcel para propiciar uma condição ótima de nutrição para as populações de eucalipto, garantindo a produtividade das florestas e assegurando a perpetuação da capacidade produtiva das terras.


As recomendações de adubação e aplicação de corretivos são baseadas em análises de solo feitas antes do preparo da área para o plantio. As instruções e os cuidados a serem tomados durante estes procedimentos estão estabelecidos nos procedimentos relativos ao seu preparo, à manutenção dos plantios, e ao uso de insumos florestais.

 



Zoom
4. Controle de mato competio

Para o controle de mato competição são utilizados os seguintes métodos: roçadas, capinas manuais e aplicações de herbicida.


Para definição do método de controle, todas as áreas são avaliadas quanto ao tipo e nível de infestação. Prioriza-se a utilização de produtos com menor impacto ambiental. O uso de produtos químicos é controlado e realizado somente quando necessário. 


Após o uso, todas as embalagens de agrotóxicos são recolhidas e devidamente encaminhadas aos fabricantes para destinação ambientalmente correta.




Zoom
5. Controle de pragas e doenas

Na Lwarcel, o controle de pragas e doenças é feito com base nos princípios do manejo integrado, nos quais a melhor intervenção é aquela em que métodos de controle cultural, físico, genético e biológico precedem ao controle químico, priorizando, desta forma, medidas menos agressivas ao meio ambiente e à saúde dos trabalhadores.


Este manejo integrado pressupõe quatro etapas: 


1) monitoramento
2) identificação
3) avaliação de danos
4) controle



Zoom
6. Preveno e combate a incndios

As ações, a infraestrutura e os equipamentos empregados pela Lwarcel na prevenção, no monitoramento e no combate a incêndios em suas unidades de manejo incluem basicamente:


- parceria com empresas florestais vizinhas, incluindo canal de comunicação, operação de torres de vigilância e apoio mútuo em situações de emergência;
- campanhas de prevenção: realizadas no período que antecede a estação seca, incluindo a distribuição de folders explicativos e divulgação de telefone para contato em caso de emergência;
- avaliação de riscos: feita com base no histórico de ocorrências e dados meteorológicos, esta avaliação permite determinar os locais sujeitos aos maiores riscos de incêndio;
- sistema de comunicação: composto pelas estações de rádio e repetidoras da empresa, que permanecem sempre em funcionamento;
- plantão florestal em Lençóis Paulista: plantonista em tempo integral, incluindo domingos e feriados;
- brigada de incêndios florestais: formada por empregados treinados periodicamente;
- construção e manutenção de aceiros;
- equipamentos de combate a incêndios: enxadas, abafadores, foices, bombas costais e caminhões pipa, mantidos em locais estratégicos.



Zoom